Notícias

A importância do teste do pézinho

Por Dra. Isadora Queiroz (CRM/RN 3998)

A importância do teste do pézinho - Neurolife

Dia 06 de junho se comemora o dia nacional do teste do pezinho.  A data procura chamar atenção para a importância do exame em recém nascidos.  Hoje o exame é uma das principais ações de prevenção de doenças neurológicas incapacitantes em crianças.  Duas das doenças pesquisadas podem levar a atraso de desenvolvimento neurológico com deficiência mental.  As doenças são fenilcetonúria e hipotireoidismo. 

A fenilcetonúria é uma das enfermidades conhecidas como “erros inatos do metabolismo”.   Ocorre em 1 de cada 14.000 pessoas.  Nesta doença, o bebê nasce com incapacidade de metabolizar a fenilalanina, um aminoácido presente em alguns alimentos.  Quando a doença não é detectada precocemente, a ingestão de diversos alimentos pode levar a quadros de atraso de desenvolvimento neuropsicomotor, tornando a criança incapaz para vida independente.  Quando identificada a deficiência no teste do pezinho, tais recém nascidos recebem orientação de terapia alimentar que evita o aparecimento de quaisquer sintomas.

O hipotireoidismo congênito decorre da falha de produção do hormônio tireoideano pelo recém nascido.  Se não corrigida, a deficiência hormonal pode levar a retardo mental, atraso motor, somente para citar as complicações neurológicas.

O teste do pezinho é obrigatório e é realizado gratuitamente pelo sistema público de saúde entre o terceiro e o sétimo dia de vida do bebê.  Hoje colhe-se uma gota de sangue da planta do pé, nos dedos da mão ou no lobo da orelha da criança (regiões com bastante vasos sanguíneos), mas o nome (teste do pezinho) popularizou-se.   

Voltar

 

www.neurolife.med.br